Tuesday, July 10, 2007

The cartoonist & the character assassination



J'ACCUSE

Nova Iorque,20 de marco ,2000

Eu, Marguerita, a artista, cujo trabalho o publico, sobretudo telespectador, passou a conhecer de sobra, depois da novela O REBU, uma satira social de Braulio Pedroso, que tinha a apresentacao e creditos por mim assinados, na epoca em 1974, por muito tempo, cartunista e desenhista do Jornal da Tarde, me encontrava em serios entendimentos com a Agencia ESTADO, para a retomada de minha carreira no Brasil, em fevereiro recente.

Apos uma longa troca de mensagens, onde eu faria uma Pagina de Humor,

desenhos, um climax emocional foi criado, sou informada que seria contratada.

Logo em seguida,sou informada que nao serei contratada, devido a volta de Murilo Felisberto,o editor do JT, que em 1975, me mandou embora do jornal numa forma chocante, uma semana antes da abertura de minha primeira exposicao individual na Galeria Multipla em Sao Paulo.

A outra razao, e que o editor chefe do ESTADO, foi com Zelio Alves Pinto, em 1967, quando eu trabalhava na FOLHA de S.PAULO como diagramadora e colaborava no SUPLEMENTO LITERARIO do Estado, desde 1964,onde Decio de Almeida Prado, recentemente falecido, que foi o meu primeiro editor e uma inspiracao para muitos de integridade humana e profissional, os dois, Pimenta e Zelio iniciaram uma perseguicao profissional e sexual, resultando em minha demissao da FOLHA, devido a calunias que espalharam para criar uma situacao embaracosa ao editor chefe,Claudio Abramo, a quem eu tinha grande respeito e que tambem me demonstrava o mesmo. Na epoca eu tinha 17 anos, e ele apesar de ser contra a mulher na redacao, me ensinou na frente de todos na redacao, a diagramar o jornal, transferindo me entao do Arquivo para a Direcao de Arte.

Na epoca, enfraquecida pelas circumstancias que a vida me sujeitava, meu pai vinha a falecer, e eu sendo o ganhapao da casa, minha

mae, sobrevivente de Auschwitz, era minha dependente, tornei me anemica,devido a meu intenso trabalho. Fui forcada a uma operacao de emergencia, e neste interim, Zelio Alves Pinto, que surgiu na Folha, junto com o Pimenta me informam publicamente, em minha volta precipitada ao jornal:

" SE VOCE PRECISA TRABALHAR, VA BATER BOLSINHA, NA ESQUINA"

Mesmo, assim,apos seis anos, recem vinda de uma temporada na Australia, em l973, ja trabalhando para o JORNAL da TARDE e a LYNXFILME, andando com minha mae, numa travessa da rua Augusta, esbarrei com Antonio Pimenta Neves. Estava desempregado e infeliz. Dei a ele uma dica, de um emprego de editor.

Uma noite ele me chamou ,para agradecer. Saimos para jantar e na volta, em vez de me levar direto para a minha casa, disse me que tinha que parar nao sei aonde e que eu o acompanhasse.

De repente, no escuro, ele me agarrou, me ESTUPROU e me ENGRAVIDOU. Lembro so de suas palavras, na ocasiao. Era o que ele queria desde os tempos da FOLHA!

Fazia uma PAGINA DE HUMOR para a revista MAIS : "MARGARIDA, A INCRIVEL MULHER MODERNA".

E,outra : MARGUERI TA para a revista MANCHETE.

Em 1976, a revista suica GRAPHIS (#179) considerada a melhor revista do mundo no genero, a Biblia de designers e artistas graficos, publicou uma entrevista comigo, em quatro paginas, a segunda brasileira(o primeiro foi o Ziraldo), com meu trabalho, notando que o meu traco, fluente e seguro, reflete todo o dinamismo e a exuberancia do Brasil.

Desde entao,apesar de prevalecer,a minha carreira e a minha vida foi seriamente prejudicada por difamacoes que partiram da mesma fonte.

De fato, o que sinto pelo Brasil, sempre me inspirou para contribuir para o Pais, nao so como artista mas parafraseando as palavras de Yehudi Menuhin,

na ocasiao de seu aniversario no dia 6 de Marco de 1996,numa homenagem

dada a ele em Paris,no Palacio Elysee, ele menciona em seu discurso "que

ele nao poderia imaginar um destino de mais alto alcance, que trazer coerencia para vozes que discordam, dar voz para os sem voz e mudos, e,para todos aqueles que foram abandonados e censurados.....

.....que a comunidade humana tem a maior obrigacao, para as futuras geracoes de legar uma cultura onde o dialogo e constantemente encorajado em cooperacao para a competencia nos interesses da sobrevivencia coletiva, quando a unica forma para existir numa sociedade equilibrada, e caracterizada pelo espirito de um respeito mutuo, ajuda e curiosidade. Encontrar este equilibrio significa em reconhecer os nossos limites: nao os de nossos ideais e sonhos,mas da natureza e dos meios que temos a nossa disposicao e efetiva-los. Equilibrio e a antitese do fanaticismo.

A maior forma de liberdade, e a liberdade de ajudar os outros. A qualidade

mais expoente de igualdade e aquela em que se respeita todas as criaturas

vivas. A maior forma de fraternizacao e a de se encontrar no coracao e na mente daqueles que nao sao como nos ou mesmo nossos inimigos.

A ocupacao mais importante e quando existe a associacao criativa da mente

e da materia, a uniao do artesao e seu metier. Tudo que nos cerca,a percepcao em nossas amizades, musica,c ancao, danca, arte, farsas-sem esquecer a gastronomia;tudo que envolve nossas vidas como individuos

junto as nossas familias, sociedade, ou a natureza em si propria; nossos entusiasmos e impulsos sem fronteiras; paixoes desenfreadas; este todo a que pertencemos todos nos,que em retorno nos protege.

Temos que cuidar de nossos corpos,nossos sentimentos, nossos pensamentos, nossas emocoes,nosso ambiente e se opor contra a poluicao mental e fisica.

E , esta poluicao mental e fisica que nos empurra com forca para habitos negativos que geram estas culturas monstruosas e violentas que se alastram pelo mundo e envolvendo a todos nos."

Marguerita.

1 comment:

Tony said...

Marguerita...
realmente e muito triste imaginar tudo isso acontecendo com voce...
so mesmo o tempo e o perdao vindo de voce para libertar todos esses sentimentos.... mas por outro lado e fantastico como esses mesmos sentimentos fazem com que voce descereva essa situacao maravilhosamente, da intriga a esperanca, o desdobramento literario e envolvente que aos poucos vai sublimando todas as suas emocoes....